terça-feira, 6 de dezembro de 2016

MONARDA DIDYMA (MONARDA, BEE BALM, MONARDE)


As flores organizam-se em torno de um eixo central. O que nos parece uma flor é na realidade uma inflorescência ou, como mais vulgarmente diremos, uma "cabeça" de flores. O cálice de cada flor é longo e estreito. Interiormente, podem ver-se  um lábio superior e um lábio inferior recurvado e por baixo do lábio superior, duas anteras e um estigma. 


Forma e cor são por demais chamativas, irresistíveis às abelhas, como é comum nas labiadas. 


Como se não fosse bastante, a monarda seduz-nos ainda pelo aroma da abundante folhagem que exala um odor a tomilho. Pena é que muito dificilmente se adapte à secura dos nossos verões. Além do mais, a monarda requer um solo húmido durante o verão, condição  inteiramente preenchida no jardim onde as fotografei mas irrepetível aqui no jardim à porta.   

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

CUPHEA IGNEA (FLOR-de-SANTO-ANTÓNIO, FIRECRACKER PLANT, CIGARETTE PLANT, PLANTE CIGARETTE)


Estas pequenas flores tubulares de cálice vermelho, encimadas por uma bordadura branca e duas finas pétalas em roxo escuro, sugerem um cigarro aceso que, no entanto, atraem borboletas sem risco de lhes queimar as asas... 


A planta é anual e uma vez instalada multiplica-se por si de tal modo que pode alastrar rapidamente se não houver cuidado de a limitar. Ali, onde as fotografei, defendidas por altos muros, bem expostas ao sol discreto, sujeitas frequentemente às chuvas, o solo em declive está bem drenado e é muito rico e bem cuidado. Daí o seu excelente aspecto. 

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

LYSIMACHIA VULGARIS (LISIMÁQUIA, YELLOW LOOSESTRIFE, LYSIMAQUE)


Planta robusta, adaptável aos mais variados solos, à luz e à sombra, recomendável para quem se inicia na jardinagem. Tanta pujança requer controlo pois pode tornar-se invasiva.


Flores muito elegantes de cinco pétalas, bem distintas nas pontas e unidas na base formando uma taça. E que generosidade de floração! 

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

ANAPHALIS TRIPLINERVIS (TRIPLE-NERVED PEARLY EVERLASTING, IMMORTELLE de VIRGINIE)


Por esta altura, as flores já totalmente abertas, terão um aspecto semelhante ao da foto. 


Mas quando as fotografei, em fins de Julho, a nota dominante ia para a folhagem cerrada onde predominavam as folhas novas em verde-acinzentado, brilhantes como prata e surgiam os primeiros botões em branco-creme. 


Apenas pelo desenho do canteiro e sua colocação próxima de plantas de folhagem contrastante na cor e sem esquecer o espaço generoso de folga para o inevitável crescimento lateral, se vê como estão bem entregues ao cuidado de um jardineiro criterioso.

Nota: a primeira foto foi extraída de Wikimedia Commons.Ficheiro Anaphalis Triplinervis 1 GPG). Autor: Guislain118http://www.fleurs-des-montaignes.net,a quem agradecemos.  As duas seguintes são da nossa autoria.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

DHALIA, um arranjo natural em três cores.



Por aqui, apesar das copiosas regas de verão, este ano as dálias  reservaram a floração plena para ambientes mais amenos.


E, em pleno outono, estamos tendo mais e melhores flores de dálias.


Nas fotos podemos ver as dálias em normal floração de verão em clima atlântico. Longe das secas das regiões mediterrânicas e mediterrânicas/atlânticas, os cuidados estão ali mais focados na prevenção dos ventos. Daí as paliçadas e muros mas o resultado compensa: plantas saudáveis, vigorosas, únicas. Em destaque as dálias em vermelho purpurado, amarelo e branco. Note-se o toque dourado das pétalas do disco e a forma côncava das pétalas avermelhadas da periferia nas quais as pétalas brancas de dispõem como num berço, em perfeita geometria (mais nitidamente na primeira foto). E, finalmente o verde da folhagem a ligar tudo. 

sábado, 29 de outubro de 2016

OUTONO: notas musicais, pinceladas, poesia.


Dans le brouillard s,en vont un paysan cagneux
Et son boeuf lentement dans le brouillard d,automne
Qui cache les hameaux pauvres et vergogneux


Et, s,en allant là bas le paysan chantonne 
Une chanson d, amour et d,infidélité
Qui parle d,une bague et d,un coeur que l,on brise


Oh! l,automne, l,automne a fait mourrir l,été
Dans le brouillard s,en vont deux silhouettes grises.

Guillaume Apollinaire
Alcools, 1912

Fotos-gentileza MM, outono de 2016.